1º de outubro de 2017

Segundo dia de programação no Nu Festival. E o tema de hoje: os Diálogos que permeiam as ruas e refletem propósitos, causas e questionamentos atuais.

No workshop de collage, Gustavo Amaral auxiliou os participantes na criação de colagens que transmitam mensagens. O trabalho de Gustavo tem como característica a preocupação de contar histórias em narrativas intrigantes e em formato não linear. Ele procura criar um mix entre o analógico e o digital, remetendo às emoções da forma humana em busca de seus objetivos através de cores, texturas e imagens figurativas.

Workshop de colagem com Gustavo Amaral. Foto: Henrique Madeira

Abrindo as palestras do dia, tivemos a artista do Nu Festival Criola falando sobre arte como resistência e como forma de transcender o que já existe dentro de você. Talk importantíssimo e forte, refletiu bem o que a motiva a criar suas obras cheias de brasilidade e empoderamento negro. Dá para assistir aqui.

Primeira palestra do dia com Criola. Foto: Henrique Madeira

O segundo talk do dia ficou por conta de Eve Queiróz, mais conhecida como Nega Hamburguer. Ela começou seu projeto artístico em 2009 através do graffiti, mas, com o tempo, explorou outras técnicas e formatos, como lambe-lambe, aquarela, tatuagem e fanzines. Seu trabalho também é sua militância e, através dele, busca representar mulheres que não estão dentro de um padrão socialmente exigido. Também é possível assistir à conversa com Eve aqui (a partir de 47:14).

Segunda palestra do dia com Nega Hamburguer. Foto: Henrique Madeira

O terceiro talk de hoje foi inspirador e muito importante, com Suriani falando sobre representatividade e gênero. Formado em Arquitetura e Urbanismo, ele morou 10 anos em Paris. Através do graffiti e da colagem, ele encontrou uma forma transgressora e eficaz de viver e se relacionar com a cidade, focando muitas de suas obras na diversidade de gênero, especialmente homenageando pessoas transgênero. Dá para assistir aqui.

Terceira palestra do dia com Suriani. Foto: @gillescbd

E, por fim, mas não menos importante, talk com nossa artista internacional convidada do Nu Festival: Gleo. Nascida e criada em Cali, na Colômbia, ela contou um pouco sobre sua trajetória e estilo de pintar, além de explicar suas inspirações e referências. Daquelas conversas que, apesar de em outra língua, fazem refletir. Dá para assistir aqui (a partir de 59:09).

Última palestra do dia com Gleo. Foto: Gabriel Sousa/Devir Produções

Para encerrar nosso segundo dia de programação, tivemos a incrível performance do VJ Suave com seu Suaveciclo, que projeta animações feitas por eles por onde passam. Em uma procissão, o público pode acompanhar o artista pelas ruas de Pinheiros, além de se emocionar com a beleza das animações e com as mensagens que eles passam durante a performance. Foi lindo!

E ainda teve DJ Session, food truck e, claro, cerveja Budweiser.

Performance do VJ Suave. Foto: Henrique Madeira

E a produção não para…

Não podíamos deixar de mostrar o processo incrível do Renan Santos hoje. Seu lobo-guará já está cheio de detalhes!

Processo do mural do Renan Santos. Foto: Henrique Madeira